Marcão do Povo é afastado do SBT após sugerir ‘campo de concentração’ para pacientes da Covid-19 - SAJ PUBLICIDADE

DESTAQUES

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Marcão do Povo é afastado do SBT após sugerir ‘campo de concentração’ para pacientes da Covid-19


O apresentador Marcão do Povo, âncora do programa Primeiro Impacto do SBT, foi afastado da emissora após um comentário polêmico acerca da pandemia de Covid-19 no país, gerando revolta do público nas redes sociais. Durante a exibição do matinal, nesta quarta-feira (8), o comunicador sugeriu que o presidente Jair Bolsonaro criasse um campo de concentração para abrigar todos os infectados pelo novo coronavírus.

Para justificar a ideia, Marcão afirmou que a China, país onde foram registrados os primeiros casos da doença, tratou todos pacientes da Covid-19 em hospitais construídos na cidade de Wuhan. “Na China, na cidade de Wuhan, pessoas que estavam com sintomas, que estavam com o coronavírus foram levadas e colocadas nessa cidade. Montaram vários e vários hospitais e as pessoas foram tratadas naquele local”, começou o apresentador.

Em seguida, ele sugeriu que o presidente da República, o Exército, a Marinha e a Aeronáutica montassem um local para onde todas as pessoas com sintomas de coronavírus fossem levadas e cuidadas, o que denominou de “campo de concentração”.

“Não seria interessante pegar, por exemplo, o Exército, Marinha e Aeronáutica e montar um campo de concentração, de cuidado, com equipamentos mais sofisticados, com os melhores profissionais e colocar essas pessoas com problemas, sintomas?”, questionou Marcão, afirmando ainda que essa medida acabaria com a divisão de dinheiro público entre os estados.

“Aí presidente acaba esse negócio de espalhar dinheiro para os estados. Vários governadores, tem estado que não teve nada, um caso que nem sequer foi comprovado, a pessoa não está nem internada e o estado decretou calamidade”, argumentou o âncora, que definiu os gastos do governo federal com os estados que apresentam número de pacientes abaixo da média nacional como “despesa”.

“Tocantins é um caso. Um caso no Tocantins, não teve uma morte. O estado tem necessidade de decretar calamidade? Não tem necessidade disso. É despesa para o bolso do cidadão, do trabalhador que já está ferrado. Então, presidente é uma dica. O senhor é presidente da República. Dá um decreto, põe o Exército nas ruas, Marinha e Aeronáutica…”, prosseguiu.

O apresentador finalizou seu discurso reforçando a ideia de criar um “campo de concentração” para abrigar os pacientes da Covid-19. “E aí, o governador que descumprir, faz igual está fazendo com o povo: cana. Monta um campo, um local adequado e trata essas pessoas lá e o comércio abre normalmente. Quem apresentou o sintoma, leva para lá. Mantém a pessoa em isolamento, bem cuidada, bem tratada. É uma ideia que eu estou dando”.

A fala do comunicador levou o termo “campo de concentração” a ocupar os trendind topics do Twitter nesta manhã.

Resposta do SBT 
O SBT emitiu nota afirmando que a opinião do comunicador “não reflete a posição da emissora” e a que a diretoria resolveu suspendê-lo de suas funções. Confira na íntegra:

“Ontem, durante a exibição do programa jornalístico Primeiro Impacto, o apresentador Marcos Paulo Ribeiro de Morais, popularmente conhecido como Marcão do Povo, se utilizou do espaço em nosso jornal para expressar uma opinião de cunho pessoal que dizia respeito ao tema tão delicado que o mundo e nosso país atravessam: a COVID-19.

Gostaríamos de esclarecer ao público, às autoridades, àqueles que estão na linha de frente ao combate incessante da pandemia e, em especial, às pessoas vitimadas, que de forma alguma a opinião expressada pelo apresentador reflete o pensamento, a atitude e o respeito que a emissora tem pelo momento atual. Temos total consciência da relevância do assunto e temos, a todo momento, nos preocupado em informar e esclarecer de forma isenta e imparcial os acontecimentos e as providências que as autoridades e todos brasileiros estão adotando para vencermos essa enorme crise de saúde já presente, e a econômica que se avizinha.

Desta forma, sinceramente lamentamos que o apresentador tenha usado nossa plataforma de modo que contraria tão profundamente os nossos princípios. A todos que de alguma forma possam ter se ofendido ou mesmo se indignado com as opiniões pessoais do apresentador, nossas mais sinceras desculpas.

Nossos profissionais de Jornalismo seguirão na dura missão de bem informar, sempre preocupados com o bem estar de todos os brasileiros.

O apresentador foi suspenso de suas funções”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião!