Avó e neta morrem após serem soterradas durante deslizamento de terra em Salvador - SAJ PUBLICIDADE

DESTAQUES

quinta-feira, 23 de abril de 2020

Avó e neta morrem após serem soterradas durante deslizamento de terra em Salvador


Uma mulher de 41 anos e a neta dela, de quatro meses, morreram após ficarem soterradas durante um deslizamento de terra em Águas Claras, bairro de Salvador, nesta quinta-feira (23). As informações foram confirmadas pela Secretaria Municipal de Salvador (SMS) e também pelo Corpo de Bombeiros. A situação ocorreu durante as fortes chuvas que atingem a cidade.

O deslizamento de terra foi registrado por volta das 9h30, na Rua Celika Nogueira. Na hora, tinham quatro pessoas dentro da casa: Maria da Conceição fraga, 41 anos; José Carlos Gonçalves, 51; Gabriela Teixeira Gonçalves, 19 anos, e Maria Eduarda, de quatro meses.

Os dois primeiros são pais de Gabriela. Já a bebê, é filha de Gabriela. Daniel Teixeira, de 17 anos, e Gabriel Teixeira, de 18 anos, que também são filhos do casal e moravam na casa, estavam no trabalho na hora do deslizamento.

Os vizinhos relataram ter conseguido retirar a criança e a mãe dela (Maria Eduarda e Gabriela). Já o homem (José Carlos) foi retirado com ajuda do Corpo de Bombeiros.

Maria da Conceição Teixeira só foi localizada nos escombros por volta das 12h40, mais de três horas após o caso. Ela não resistiu aos ferimentos e morreu.

Os bombeiros acreditam que a mulher tenha morrido após ficar sem ar. Ela foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e também pela Polícia Militar.

“Infelizmente, fizemos de tudo possível, mas, infelizmente, por falta de oxigênio talvez, ela não resistiu. O local é de muito difícil acesso. Não paramos de trabalhar, mas, infelizmente, estamos resgatando ela sem vida”, disse o Coronel Marquezine.

Ele contou ainda que a mulher foi achada com muita terra e em um local que parentava ser a cozinha da casa.

“Ela estava toda coberta por terra. A casa perdeu a estrutura original, mas, a princípio, ela estava na cozinha [da casa]”, relatou o Coronel Marquezine

Já a neta de Maria, morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Valéria, para onde foi levada pouco tempo depois de ser socorrida ainda no início da manhã. O corpo está no necrotério da unidade.

Gabriela e José Carlos também foram levados para mesma UPA. O homem teve ferimentos em um dos pés e o estado de saúde dele é estável. A SMS não tem informações sobre a mãe da bebê.

Equipes da Defesa Civil de Salvador (Codesal) estão no local vistoriando se há mais riscos de desabamentos no local e se será retirar famílias do bairro. Conforme o órgão, em toda a cidade, mais de 400 áreas são considerada de risco nesta quinta. Além de mais de 1 mil pontos de riscos.

Segundo o filho da vítima, Daniel, que estava no trabalho na hora do deslizamento, a família temia que alguma coisa ocorresse por causa de um cano estourado, que fica na parte superior de uma encosta próximo à casa deles.

“A casa não tinha nada. Começou tudo por ali, naquela tubulação. Isso daí é velho. Essa tubulação de água. Veio daqueles canos. Vazamento de chuva, de esgoto, de tudo. Tem uma semana a gente falando isso. Isso tem anos”, disse.

Ele pontuou também que a irmã e a sobrinha dele, a bebê que morreu, não moravam na casa. Elas estavam ali porque foram visitar dona Maria, que estava com saudade da neta. Foi ele que resgatou a criança.

“Não consigo acreditar. Fui eu que peguei ela. Quatro meses a minha sobrinha. Eu estava no trabalho, recebei a ligação e vim correndo”, contou.

Já um outro filho de dona Maria, Gabriel Teixeira, pontuou que o problema com a tubulação era recorrente. Ele disse que pediu ajuda, mas nenhum órgão foi até o local.

“Tem muito tempo que a gente estava avisando sobre o vazamento da tubulação. Não tem semanas. São anos falando. Hoje desceu muito barro e já vinha descendo. Tinha anos que descia. A gente pedindo para resolver e nunca ninguém resolveu. Nunca pediram para mandar a gente sair daqui. O imóvel da parte de cima apresentava muito vazamento”, contou Gabriel.
Chuva em Salvador

A chuva forte causou estragos em Salvador nesta quinta-feira. Alagamentos foram registrados na Avenida Paralela, Rua Régis Pacheco, no bairro do Uruguai, em pontos do bairro da Calçada e outros locais da Cidade Baixa. Houve acumulo de água também em locais como Avenida San Martin e no bairro do Cabula.

Por causa do mau tempo, a travessia Salvador-Mar Grande foi suspensa. Além disso, a sirene de alerta do bairro Bom Juá, foi acionada. O alerta é para que as pessoas deixem suas casas e sigam para uma escola municipal da região, que servirá de abrigo até que seja seguro retornar para os imóveis.

Equipes da Codesal estão no Bom Juá, assim como em diversos bairros de Salvador, para monitoramento da chuva e registro das ocorrências.

Além disso, uma criança precisou ser resgata pelos vizinhos após ficar soterrada durante um deslizamento de terra. Ela tem oito anos e passa bem, mas precisou enfaixar um dos pés.

A Codesal já havia mudado, desde a manhã, o nível de alerta de atenção para risco muito alto de deslizamentos e previsão de chuva forte.

A previsão é que a chuva permaneça ao longo do dia. De acordo com o Instituto Nacional de meteorologia, nesta quinta, a temperatura em Salvador varia entre 23ºC e 28ºC. (G1/Ba)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião!