Exclusivo: TJ-BA nega isolamento do local da morte de miliciano e acata pedido de nova perícia - SAJ PUBLICIDADE

DESTAQUES

segunda-feira, 16 de março de 2020

Exclusivo: TJ-BA nega isolamento do local da morte de miliciano e acata pedido de nova perícia


O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) negou pedido feito pela viúva de Adriano da Nóbrega, Julia Emilia Lotufo, para o isolamento do local onde aconteceu o assassinato do miliciano, no dia 9 de fevereiro deste ano. A mulher pediu também que seja realizada nova perícia técnica no local do crime, o que foi concedido pelo juiz Augusto Yuzo Jouti, em decisão publicada nesta segunda-feira (16) no Diário de Justiça.

De acordo com o magistrado, não há necessidade do isolamento do local, uma vez que se trata de propriedade privada, pertencente ao vereador Gilson Neto, conhecido como Gilson de Dedé, e o crime já aconteceu há um mês. “O fato ocorreu há um mês, já houve perícias oficiais. Além disso, cuida-se de imóvel particular, não vislumbrando-se motivo para torná-lo indisponível”, escreveu.

O juiz, no entanto, acolheu o pedido de realização de nova perícia, com perito indicado pela família de Adriano, fato que deve acontecer em até 15 dias, contados da data de publicação da decisão.

O magistrado impôs condições para a perícia: “a coleta de dados e medições deverão ser realizadas em única vista in loco, acompanhada por Oficial de Justiça (mandado de inspeção) (...) e o proprietário do imóvel deverá ser procurado para abrir portão e portas”, concluiu.

Adriano da Nóbrega foi morto em confronto com a polícia em um sítio localizado na cidade de Esplanada. Ele, que era ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, foi um dos denunciados da Operação Intocáveis, além de ser apontado como chefe do grupo de assassinos profissionais Escritório do Crime e de uma milícia no Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião!