Assaltantes se passam por religiosos e entregadores de comida para roubar moradores em bairro de Salvador - SAJ PUBLICIDADE

DESTAQUES

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Assaltantes se passam por religiosos e entregadores de comida para roubar moradores em bairro de Salvador


Moradores da Rua Edgard Chastinet, no bairro da Santa Mônica, em Salvador, têm reclamado dos assaltos constantes que acontecem na região. Além dos roubos feitos por duplas em motocicletas, tem assaltantes se passando por religioso e entregadores de comida para cometer o crime.

Uma moradora do bairro há quatro anos contou à reportagem da TV Bahia que vai se mudar por causa da violência. As imagens das câmeras de segurança instaladas pelos moradores mostram o momento em que ela foi abordada por dois homens em uma moto. Com medo de se identificar, a moradora lembrou o assalto, que aconteceu no dia 26 de janeiro.

“Foi um dia de domingo. Eu, saindo pela manhã, descendo aqui a rua e dois indivíduos de moto me abordaram. O carona desceu, se aproximou com o revólver e, com aqueles termos que eles xingam, né? Xingando, me pedindo o celular, que eu levantasse a mão, que eu não corresse e, se eu corresse, que eles atiravam na minha cabeça. Eu passei o celular, deixa pra eles e voltei pra casa, né? Porque eu fiquei muito nervosa”, contou a moradora.

Morador do bairro há 40 anos, um homem que não quis se identificar conta que os últimos meses foram os mais perigosos dos últimos tempos. “Muita frequência. Essa moça foi roubada, o rapaz da barbearia foi roubado. Tem um aposentado ali que já teve três derrames. Eles entraram na casa dele para pedir água e roubaram ele”.

O morador contou que o comércio que ele tem no bairro já foi assaltado pelo menos três vezes.

Na semana passada, vídeos de câmeras de seguranças flagraram dois homens em uma moto, que praticaram assaltos no bairro. Eles usaram uma mochila de entrega como disfarce para circular sem chamar atenção.

Um dia depois, uma barbearia também foi alvo de ladrões. Nas imagens, é possível ver um casal conversando com um idoso. O homem e a mulher disseram para a vítima que eram pessoas religiosas e pediram para usar o banheiro.

Enquanto, a mulher conversava com o idoso na porta, o homem entrou e levou dinheiro e cartão da vítima. Depois, os dois foram embora caminhando.

“Geralmente acontece com dois homens em uma moto, certo? E eles abordam a pessoa pra levar celular, carteira, essas coisas…E, assim, é uma situação que a gente passa aqui toda semana. Toda semana a gente passa isso aqui. Geralmente acontece duas, três vezes na semana…e os moradores aqui ficam com medo de botar a cara na porta”, contou outro morador.

Os crimes foram registrados porque os moradores, cansados de tantos assaltos, fizeram uma vaquinha e instalaram doze câmeras de segurança na rua. Apesar disso, eles não deixaram de ser roubados.

“A rua tem muitos assaltos, roubo de carro, então os moradores se reuniram e colocaram as câmeras justamente pra isso, né? Pra tentar coibir um pouco os assaltos. Mas só que atualmente está tendo muito assalto”, disse a moradora.

“A gente fez investimentos de câmeras aqui, mas isso só ajuda pra poder identificar a pessoa que cometeu esse ato. Mas o que a gente mais quer na rua é mais segurança, que é uma coisa que a gente não tem aqui na rua. A gente não tem segurança nenhuma”, disse o morador.

“A gente vive à mercê das câmeras. A gente vai na delegacia, faz boletim de ocorrência, mas continua sem segurança”, completou.

A reportagem entrou em contato com a 37ª Companhia de Polícia Militar, que informou, por meio de nota, que o policiamento será reforçado na localidade da Rua Edgard Chastinet, no bairro da Santa mônica.

O comandante da companhia ressaltou que os policiais da unidade já efetuaram várias prisões na localidade e que o policiamento no bairro é realizado com o rádio-patrulhamento motorizado, através de viaturas e motocicletas em rondas.
G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião!