Dodge deixa para sucessor decisão sobre denúncias contra Rodrigo Maia na Lava-Jato - SAJ PUBLICIDADE

DESTAQUES

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Dodge deixa para sucessor decisão sobre denúncias contra Rodrigo Maia na Lava-Jato


Raquel Dodge deixou para seu sucessor, no comando da Procuradoria-Geral da República, a decisão sobre apresentar denúncias contra o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ou arquivar os casos. Maia foi um dos apoiadores da recondução de Dodge ao comando da PGR. As informações são do jornal O Globo. 
Nesta quarta-feira, foi o único político a estar presente na cerimônia de transmissão do cargo.

Dois inquéritos da Lava-Jato já concluídos pela Polícia Federal, que imputaram o crime de corrupção passiva ao parlamentar, ficaram pendentes no gabinete da PGR. Um envolve acusações de pagamento de propina pela empreiteira OAS em troca da interferência de Maia em uma medida provisória sobre aeroportos e o outro consiste em repasses da Odebrecht.

Dodge devolveu ao STF os autos do inquérito nesta terça-feira, seu último dia no cargo, mas sem apresentação de denúncia e sem pedido de arquivamento. Apenas solicitou que o inquérito fosse encaminhado para uma outra investigação em andamento. Na prática, deixou o caso em aberto para o próximo PGR decidir o destino de Rodrigo Maia na Lava-Jato.

No início do mês, ela foi alvo de desgaste interno por ter solicitado o arquivamento preliminar de um dos anexos da delação premiada do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro que tratava justamente de Rodrigo Maia. O grupo de trabalho da Lava-Jato na PGR pediu demissão coletiva em discordância à manifestação de Dodge.

Sobre as acusações da PF, ele já havia se manifestado negando ter recebido doações ilegais. Maia negou as acusações e disse que sempre recebeu apenas doações legais. Em nota, ele afirmou que recebeu em campanhas eleitorais solicitadas dentro da legislação, contabilizadas e declaradas à Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe a sua opinião!